Quinta da Costa das Aguaneiras Tinto 75cl

22,50

Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Outras (Vinhas entre 30 a 60 anos)

Cor: Vermelha viva, intensa e profunda.
Aroma: É limpo, bastante frutado, com aromas de frutos vermelhos bem maduros, como ameixa preta e amora. Complexo e cheio, apresenta notas de madeira discretas, bem integrada, contribuindo para o seu enriquecimento aromático.
Paladar: A primeira sensação é fresca e muito saborosa. Mostra-se um vinho pleno de fruta e equilibrado.
Com uns taninos suaves, revela boa acidez e uma excelente estrutura. O final de boca é muito saboroso, fresco e longo. Promete longevidade.
Gastronomia: Pratos de carne e caça bem estruturados e ricos de sabor.

Este vinho tem por base a casta Touriga Nacional provenientes de uma vinha em encosta virada a sul. A sua vinificação em lagar de pedra e o estágio em barricas de carvalho francês permitiram criar um vinho encorpado, com fruta madura, complexa, e uma estrutura e capacidade de evolução que são o reflexo das enormes potencialidades do Douro.

Categorias: , ,

A Lavradores de Feitoria, Vinhos de Quinta S.A. é um projecto único, criado em Setembro de 2000 e que resultou da união de 15 lavradores, proprietários de 18 quintas distribuídas pelos melhores terroirs do Douro, repartidas pelas três sub-regiões (Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior). Actualmente compõe a estrutura da empresa: 48 accionistas, dos quais 15 são produtores de uva, e 19 quintas. Juntos, somam uma área total de vinha superior a 600 hectares.

Estes produtores – com participações distintas no capital da empresa, sob uma só marca, uma só adega e uma só equipa de enologia – juntaram-se para partilhar recursos e criar sinergias de forma a conseguirem o que sozinhos não conseguiriam. Pela primeira vez no Douro, um grupo de convictos durienses associou saberes e experiências, inovação e tradição. Um esforço conjunto e solidário que marcou uma nova época para o Douro.

Partilha e associativismo, concertados de uma forma moderna, razoável e inteligente, são os valores subjacentes à Lavradores de Feitoria. O objectivo foi, desde o início, o de criar vinhos equilibrados, elegantes e com potencial de envelhecimento, tendo por base um compromisso declarado com a excelência e tradição do Douro.

Com 19 quintas espalhadas por todo o Douro, a Lavradores de Feitoria consegue obter a melhor matéria-prima, com uvas de todas as castas (mesmo as menos conhecidas), cepas de todas as idades, plantadas a múltiplas altitudes, com diferentes exposições, numa enorme heterogeneidade de solos.

História do nome

Marquês de Pombal, fundador da Região Demarcada do Douro, seleccionava os melhores vinhos desta região, destinando-os aos apreciadores mais exigentes do país e do resto do mundo. Eram os chamados “vinhos de feitoria” e ganharam merecido respeito pela sua extrema qualidade.

Na viragem do século, lavradores do Douro uniram-se para realizar um sonho tão simples quão ambicioso: juntar “Lavradores” para fazer vinhos “de Feitoria”. Assim nasceu a Lavradores de Feitoria, que reúne diferentes saberes e experiências, ancestrais e contemporâneos, desde a viticultura à comercialização.

Peso 1.4 kg

Start typing and press Enter to search

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.